Declaração de voto de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Sobre o Relatório de 2016 sobre a Turquia

Não podemos, contudo, deixar passar incólume o cinismo daqueles que no Parlamento Europeu e na União Europeia fingem ter descoberto agora o carácter repressivo e autoritário do governo turco, encobrindo o seu amplo conluio com as autoridades turcas e as suas políticas de ocupação ilegal de território de Chipre, da repressão da população curda, da restrição de liberdades, direitos e garantias fundamentais, da agressão e saque à Síria, de promoção e proteção a grupos terroristas, ou a instrumentalização da dramática situação de milhões de refugiados e a negação dos seus mais elementares direitos.
Ao mesmo tempo, defende-se a atualização da União Aduaneira e valoriza-se o criminoso Acordo UE-Turquia.
Não podemos também deixar de denunciar ainda que os mesmos que agora criticam a Turquia, são os mesmos que nos seus países aplicam restrições a direitos, liberdades e garantias dos cidadãos como é o caso das medidas que se tomaram em França após os atentados terroristas.
Não deixamos de acompanhar os desenvolvimentos da complexa e contraditória situação que se vive na Turquia num quadro de aprofundamento de conflitos inter-imperialistas. Não deixamos também de expressar a nossa solidariedade com os comunistas e outros democratas turcos na sua luta em defesa dos direitos, interesses e aspirações do povo turco.
Por isso votámos contra.

>
  • União Europeia
  • Declarações de Voto
  • Parlamento Europeu

Partilhar