Intervenção de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Sobre o Pacote de Mobilidade

A realidade do sector do transporte rodoviário traduz uma realidade de brutal exploração dos trabalhadores. Elevadíssimos níveis de precariedade e muito baixos salários, onde se denunciam práticas ilegais de pagamentos ao quilómetro, à tonelagem ou à viagem. Impõem-se pesadas jornadas de trabalho, tendencialmente crescentes, para responder às necessidades dos grandes grupos económicos. Impõe-se o isolamento, pessoal e familiar em longos períodos de serviço, que algumas propostas agravam. Negligenciam-se as justas necessidades de descanso, ignoram-se os elevados níveis de stress e desgaste físico e psicológico a que os trabalhadores estão sujeitos.

As propostas da Comissão visam, no essencial, o aprofundamento dos mecanismos de exploração dos trabalhadores, a maximização do lucro e a concentração de capital em benefício das grandes empresas e multinacionais do sector ou de sectores que dependam do transporte rodoviário, nomeadamente para as importações e exportações. Em nome do mercado único, promovem o nivelamento por baixo das condições de vida e de trabalho na Europa aumentando as desigualdades, exclusão e pobreza, opções a que lamentavelmente, o Governo Português se associou.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar