Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

Sobre o aumento da taxa de desemprego

1. Os cerca de 7% agora registados, revelando um aumento do número de desempregados, não traduz infelizmente a verdadeira expressão do desemprego que se situará, em termos reais, bem acima dos 7%.

2. Naturalmente que a situação em torno da epidemia assume um significado particular na actual realidade do desemprego. Facto que não ilude que as recentes alterações ao Código de Trabalho acordadas entre PS, PSD, CDS, Patronato e UGT, acrescentando precariedade à precariedade já existente, facilitou os despedimentos, muitos a pretexto da epidemia. Exemplo mais gritante desta situação é o recurso aos despedimentos a partir do alargamento do período experimental.

3. A precariedade, os baixos salários, os cortes nos rendimentos, o desemprego, a pobreza são estes os problemas centrais que é necessário enfrentar e resolver. A situação actual exige de imediato medidas de defesa do emprego e de protecção social no desemprego nomeadamente o prolongamento e reforço do Subsídio de Desemprego e Subsídio Social de Desemprego. Medidas urgentes e imediatas para responder já às graves situações que os trabalhadores enfrentam, medidas fundamentais para fazer frente a uma situação social e económica, que se não mudar o rumo das opções políticas de fundo, tenderá a agravar-se.

>
  • Economia e Aparelho Produtivo
  • Central
  • Desemprego