Intervenção de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Serviços transfronteiriços de entrega de encomendas

Esta discussão enquadra-se nas políticas de assalto ao serviço postal universal como serviço público que a União Europeia há décadas promove.

Valoriza-se a privatização e fragmentação do serviço e elimina-se qualquer referência a serviço público. Legitima-se a desregulação e precariedade laboral.
Cria-se as condições para facilitar, fenómenos de concentração de serviços por um lado, e a degradação e aumento de custos do serviço ao utente.

As consequências das vossas políticas estão aliás, bem patentes, no processo de degradação do serviço postal universal em Portugal, bem expressa pela realidade dos CTT, evidenciada nos últimos meses.

A empresa privatizada, distribui lucros milionários, desvirtua o objecto principal da sua actividade, promove o encerramento de balcões - mais de 20 - tendo anunciado o despedimento de 800 trabalhadores. Encareceu o serviço, degradou a resposta nomeadamente nas localidades de menor dimensão ou mais isoladas.

Aproveitamos por isso para saudar a luta dos trabalhadores dos CTT, na defesa da empresa e da reversão da sua privatização, retomando o serviço postal público e universal de qualidade que sempre prestaram.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar