Posições Políticas

As Micro, Pequenos e Médios Empresários e a coesão territorial

Em nome da CPPME, a nossa saudação aos presentes e ao PCP, agradecendo o convite para este debate

Estou aqui em representação da CPPME, Confederação Empresarial, exclusiva de MPME, que, nos seus 33 anos de existência, tem desenvolvido um intenso trabalho institucional e reivindicativo no apoio e na defesa dos Micro, Pequenos e Médios Empresários.

MPME que desempenham um papel fundamental na economia portuguesa, porque correspondem a 99,9% das empresas não financeiras, sendo responsáveis por cerca de 80% dos postos de trabalho e por mais de 50% do volume de negócios do país.

Questões demográficas e as políticas para o território

Vários anos de governação de direita e, em particular com o pacto de agressão, subscrito por PS, PSD e CDS e aplicado pelo PSD e CDS, aprofundaram a depressão económica e social e agravaram os problemas crónicos do país: encerramento de empresas, redução do emprego e aumento do desemprego; elevados níveis de precariedade, baixos salários e baixo poder de compra; degradação dos serviços públicos; redução da natalidade e envelhecimento populacional, êxodo das camadas mais jovens quer para as grandes cidades do litoral, quer para o estrangeiro, crescente desertificação do interior.

Estatuto da agricultura familiar, da publicação à prática

Muito se tem falado, nos últimos 2 anos, do Estatuto da Agricultura Familiar, que culminou na sua publicação o ano passado, mas não basta, é urgente haver coragem política para passar da sua publicação à prática.

Infraestruturas e transportes

Camaradas,

Grande parte do território está hoje sem uma verdadeira rede de transportes públicos, seja pela extinção da Rodoviária Nacional e a sua pulverização, seja pelas dificuldades financeiras que foram impostas aos municípios, seja pela redução da rede e da oferta ferroviária e a fragmentação da CP, seja ainda, pelo facto, de os operadores privados se cingirem às zonas mais lucrativas.

Gestão do Território, uma visão regional

Boa tarde camaradas

A questão das opções relativas à gestão do território e ao investimento em infraestruturas no Alentejo sempre foram uma pedra de toque sobre as escolhas das diversas forças políticas. E o que é evidente é que a prática do PS, do PSD e do CDS que têm estado de serviço na responsabilidade pela definição das políticas para o País, com a rotação de turnos que conhecemos e se tem caracterizado por manterem no essencial as mesmas políticas, de abandono da região. Que é duplamente penalizada. Pela política de direita e pela sua interioridade.

Uma visão estratégica para o desenvolvimento equilibrado

Uma saudação a todos os presentes, aos membros do Partido que aqui estão e que intervêm nas mais diversas áreas e uma saudação particular a todos aqueles, que em representação de entidades, membros de diversas estruturas ou que a título individual aceitaram o nosso convite para a reflexão e aprofundamento destas matérias.

Pretendemos com este debate fazer sobressair não só as causas e consequências da realidade com que nos defrontamos mas também os instrumentos, medidas e respostas que para o PCP são necessárias e possíveis para um desenvolvimento equilibrado de todo o território.

Ver vídeo
Exercer os Direitos. Participar em Igualdade

Exercer os Direitos. Participar em Igualdade

Uma saudação fraterna a todas as militantes comunistas, a todas as amigas presentes nesta iniciativa organizada pela Direcção Regional de Aveiro do nosso Partido, uma saudação que quero estender às mulheres deste concelho de Albergaria-a-Velha e a todas as mulheres do distrito de Aveiro.

Protesto do PCP enviado à ERC relativo à insistente campanha persecutória anti-comunista da TVI

Protesto do PCP enviado à ERC relativo à insistente campanha persecutória anti-comunista da TVI

A peça ontem editada pela TVI a pretexto de «desenvolvimentos» ao caso Inválidos do Comércio, não fosse a intenção de difamação gratuita e infundada para atingir o PCP, seria um acto que pelo que transporta de ridículo devia envergonhar quem a edita e a estação que lhe dá espaço. Sabemos que esperá-lo seria um exercício inútil não apenas porque quem produz os conteúdos não se determina por padrões de jornalismo (mesmo admitindo que possam ter carteira profissional) mas por uma prática de manipulação e porque quem os cobre o faz a partir de critérios editoriais conscientemente assumidos.