Posições Políticas

Sobre a participação do PCP nas eleições para a Assembleia Constituinte

O Comité Central do Partido Comunista Português reuniu, em sessão plenária e ampliada, no dia 2 de Março de 1975, no Centro de Trabalho da Comissão de Freguesia de Alhandra.

Os 70 participantes na reunião representavam as organizações do Partido de todos os distritos do continente e das ilhas adjacentes.

Sobre a decisão de criar a União da Juventude Comunista

Considerando a crescente luta da juventude trabalhadora em defesa das suas reivindicações e aspirações especificas e a sua participação activa e destacada no processo democrático em curso;

Considerando a ampla adesão da juventude trabalhadora aos ideais do socialismo e do comunismo e a sua entusiástica participação nas iniciativas e actividades de massas do Partido Comunista Português;

Sobre a presente campanha anticomunista

1. Está a viver-se actualmente um recrudescimento externo do anticomunismo. Não se trata apenas do tradicional anticomunismo da reacção fascista e seus aliados, cuja propaganda desde sempre pintou os comunistas como inimigos da pátria, da família e até do próprio homem.

Saudação ao MPLA

Ao Conselho Director do Movimento Popular de libertação de Angola

Queridos Camaradas:

Sobre as manobras da NATO

1. É conhecida a posição do PCP, constante do seu Programa, acerca da NATO e da participação de Portugal na organização atlântica. Tal posição confere ao PCP particular autoridade para afirmar que, após o 25 de Abril, na complexa situação nacional e internacional, seria particularmente perigosa para a jovem democracia portuguesa uma política precipitada e aventureirista em relação à NATO.

O PCP e o momento político

A revolução democrática atravessa um momento que pode ser decisivo. Os debates, divergências e polémicas em torno de problemas concretos imediatos não podem impedir a visão mais ampla da perspectiva revolucionária.

Sobre a manifestação pela unicidade sindical

1. O PCP confirma uma vez mais a sua posição de que a unicidade sindical é nas condições concretas do Portugal de hoje a melhor garantia da liberdade sindical.

Sobre a situação na Ilha da Madeira

A Comissão Política tomou conhecimento e apreciou a situação existente na ilha da Madeira, constatando:

1. O saneamento está praticamente por realizar em toda a ilha. Os fascistas (apoiados por uma boa parte do clero e da informação reaccionária) continuam a dominar a administração em diversas zonas da Madeira.

Sobre o combate à sabotagem e à corrupção

1. O Partido Comunista Português dá o seu completo apoio ao comunicado da Presidência do Conselho anunciando a prisão de certo número de individualidades fascistas, implicadas em graves delitos de sabotagem económica, de corrupção e especulação financeira.

Sobre a unidade sindical

1. O Governo Provisório, através do Ministério do Trabalho, submeteu à discussão pelos trabalhadores nos respectivos sindicados o projecto-lei das associações sindicais. Trata-se de um facto cuja importância não é de mais realçar, pois decerto a opinião dos trabalhadores será tida em conta na elaboração final e aprovação da lei.