Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

No decorrer dos desenvolvimentos em torno do incidente ocorrido no Reino Unido

A pedido de vários órgãos de comunicação social, e no decorrer dos desenvolvimentos em torno do incidente ocorrido no Reino Unido, o PCP esclarece:

Na sequência do incidente ocorrido no dia 4 de Março, em Salisbury, no Reino Unido, envolvendo um agente britânico e a sua filha, cidadã russa, cujas circunstâncias, nomeadamente em torno da substância utilizada e sua origem, envoltas em controvérsia, estão ainda por esclarecer, o Governo britânico atribuiu a sua autoria à Federação Russa. A Federação Russa negou quaisquer responsabilidades nesse incidente e expressou a sua disponibilidade e interesse em colaborar com as autoridades do Reino Unido.

Entretanto, um conjunto de medidas, incluindo a expulsão de diplomatas russos, foi adoptado por alguns países e pela NATO.

Tal situação ocorre num momento em que se desenvolve um conjunto de manobras e pressões no quadro do processo de saída do Reino Unido da União Europeia, e em que a situação internacional é marcada pela escalada de tensão e confronto levada a cabo pelos EUA e seus aliados, que se expressa no aumento das despesas militares e na corrida aos armamentos, na promoção de sanções, bloqueios económicos e guerra comercial, no fomento de acções de desestabilização e agressão, contra diversos países em diversas partes do mundo, nomeadamente no Médio Oriente –, escalada que representa uma séria ameaça à paz e à segurança mundiais.

O que se impõe neste momento é o cabal esclarecimento do incidente ocorrido em Salisbury, incluindo dos seus responsáveis, no quadro e respeito das normas do Direito Internacional, e não declarações e decisões que não assentes em provas e factos concretos visam apenas alimentar uma lógica de confrontação internacional de consequências imprevisíveis.

A política externa portuguesa deve ser soberana e autónoma e não determinada ou condicionada por quaisquer outros desígnios que não os interesses do País e do povo português. Nesse quadro o PCP entende que é responsabilidade do Governo português garantir que o País não se associa a qualquer escalada de tensão e confronto de âmbito internacional, no cumprimento dos princípios da Constituição da República, num caminho que assegure a paz e a cooperação entre os povos.

>
  • Soberania, Política Externa e Defesa
  • Central

Partilhar