Partido Comunista Português
PCP solidário com greve dos trabalhadores dos transportes e dos correios
Terça, 27 Abril 2010
greve_transportes.jpgAs greves registadas hoje em empresas do sector dos transportes e também dos CTT assumiram uma dimensão excepcional. As exigências salariais, a luta contra as privatizações e a política de retirada de direitos pelo Governo PS e grande patronato mobilizaram milhares de trabalhadores.


Amável Alves, Federação dos Sindicatos dos Transportes

 

A circulação ferroviária foi fortemente atingida em todo o país com várias linhas e estações encerradas e com uma adesão superior aos 90%. Na área metropolitana de Lisboa mais de 80% dos trabalhadores da Transtejo e dos TST estiveram em greve e também na Carris se verificou uma forte adesão. Nos restantes pontos do país empresas como os Transportes Urbanos de Braga, Transvizela, Auto Viação do Minho, atingiram os 100%, enquanto outras como a Arriva, a Rodoviária da Beira Litoral ou a Minho BUS ultrapassaram os 80 %.
A forte impacto criado pela greve destes trabalhadores junto das populações que o governo não conseguiu esconder, tem sido ao longo do dia explorado pelos principais órgãos de comunicação social. Nos correios a adesão foi superior aos 80%. Em dezenas de piquetes de greve por todo o país o PCP esteve presente expressando a sua solidariedade.