Partido Comunista Português
Intervenção de Jorge Machado na AR
Trabalhadores portugueses em Inglaterra
Quarta, 04 Fevereiro 2009

londres.jpgComo ponto prévio, importa dizer, em nome do Grupo Parlamentar do PCP, que consideramos estas manifestações absolutamente inaceitáveis e, por isso, elas devem ser fortemente condenadas.
Estas manifestações foram promovidas por sindicatos - é verdade -, mas também tiveram o contributo, por exemplo, do Partido Trabalhista, que até há bem pouco tempo dizia: «Trabalho inglês para trabalhadores ingleses».

 

 

As manifestações xenófobas de que têm sido alvo trabalhadores portugueses em Inglaterra

 

Sr. Presidente,
Sr.ª Deputada Celeste Correia,

Como ponto prévio, importa dizer, em nome do Grupo Parlamentar do PCP, que consideramos estas manifestações absolutamente inaceitáveis e, por isso, elas devem ser fortemente condenadas.

Estas manifestações foram promovidas por sindicatos - é verdade -, mas também tiveram o contributo, por exemplo, do Partido Trabalhista, que até há bem pouco tempo dizia: «Trabalho inglês para trabalhadores ingleses».

Portanto, quando a crise do capitalismo aperta, forças políticas e sociais procuram estas respostas para não responsabilizar o sistema político e social em que vivemos pelas consequências que nos traz.

É, pois, uma ideia absolutamente inaceitável responsabilizar os imigrantes pela actual crise mundial.

Sr. Presidente e Srs. Deputados,

Estes episódios devem merecer reflexão por parte desta Assembleia, devem servir de lição para quem aqui, em Portugal, procura lutar contra a imigração.

É importante que se refira que não devemos fazer aos outros o que não queremos que façam aos nossos, no estrangeiro.

Nessa medida, Sr. Presidente e Srs. Deputados, deixava aqui duas notas. A primeira nota é de preocupação quanto ao futuro.

A crise alastra, o desemprego alastra e importa que haja medidas de combate a este tipo de sentimentos e de fenómenos.

A segunda nota traduz-se na seguinte pergunta à Sr.ª Deputada Celeste Correia: que medidas tenciona tomar o Governo português, no quadro da União Europeia e no quadro internacional, para salvaguardar os direitos dos trabalhadores portugueses que estão no estrangeiro e que medidas vai tomar, no futuro, para evitar que este tipo de sentimentos alastre no contexto internacional?