Partido Comunista Português
Trabalhadores de embaixadas sem direitos - Pergunta escrita de Ilda Figueiredo no PE
Terça, 03 Abril 2007

Uma trabalhadora portuguesa na Holanda (Isabel Knaff) que trabalhou 27 anos para a embaixada alemã, na residência do embaixador, sem contrato de trabalho, quando sentiu dificuldades em trabalhar demasiadas horas, solicitou redução do trabalho, mas recusaram-lhe qualquer alteração afirmando-lhe que tinha que estar disponível 24 horas por dia.

Como, entretanto, ficou doente, despediram-na. Pediu a intervenção da Inspecção de Trabalho ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Haia, Holanda, mas responderam-lhe que devido à imunidade diplomática, a embaixada não permitia uma inspecção.

Assim, solicito à Comissão Europeia uma informação sobre as medidas que espera tomar para defender os direitos dos trabalhadores em embaixadas nos países da União Europeia.

Resposta