Partido Comunista Português
Mensagem de fim de ano às Comunidades Portuguesas
Terça, 21 Dezembro 2004

 

Caros compatriotas,

Para quem vive e labuta em terras, por vezes, tão longínquas, as festas de fim de ano, em particular o período natalício, têm um valor simbólico relevante, propiciando o encontro de muitos emigrantes com os seus familiares e amigos.

O PCP, pelos seus valores humanistas, de solidariedade e fraternidade associa-se a tais efemérides, desejando a todos os emigrantes as maiores felicidades e êxito na sua vida, pessoal, profissional e familiar.

A par das festividades neste final de Dezembro e princípios de Janeiro decorre um acontecimento de grande importância que poderá marcar, positiva ou negativamente, os próximos anos: as eleições legislativas convocadas para dia 20 de Fevereiro.

Referimo-nos, obviamente, à demissão da coligação de direita (PSD e CDS-PP) por parte do Presidente da Republica tendo como fundamento uma acção governativa desastrosa, incompetente e com uma evidente falta de sentido de Estado, desvalorizando as instituições democráticas, não só em Portugal, como no estrangeiro.

O PCP, não obstante ter criticado o Presidente da República, por ter permitido o acesso ao poder por parte de Santana Lopes, congratula-se, agora, com a decisão do Dr. Jorge Sampaio e declara, desde já, que, no processo que se irá seguir, com o novo acto eleitoral, irá apresentar ao Povo Português, quer aos residentes em Portugal, quer aos residentes no estrangeiro, as suas propostas de acção governativa, cujos objectivos pretendem, única e exclusivamente, corresponder aos interesses da população, designadamente os trabalhadores, os reformados, pensionistas e idosos, os estudantes, toda a população laboriosa independentemente do seu estatuto social e, especialmente, os mais desfavorecidos.

O PCP exorta, pois, todos os emigrantes a não terem preconceitos de natureza ideológica e a reflectirem, objectivamente, sobre tais propostas e a confrontá-las com as dos outros partidos que têm desgovernado o nosso país.

De facto, passados 30 anos após o 25 de Abril o que resta da governação do PS, do PSD e do CDS-PP?

Eis uma interrogação a fazer neste final de ano, no qual as famílias e os amigos reforçam o seu convívio, permitindo falar das suas próprias vidas e da sociedade em geral.

Na certeza de que uma boa reflexão poderá contribuir para um futuro melhor, o PCP, através do seu Secretário Geral endereça a todos os emigrantes fraternas saudações, um bom Natal e uma feliz passagem de Ano.