Internacional

Solidariedade com o Povo Palestiniano!

Surdo à indignação e à generalizada condenação internacional, o governo de Ariel Sharon prossegue a sua criminosa escalada de guerra contra o povo palestiniano em luta pela sua pátria. O Presidente da OLP e da Autoridade Nacional Palestiniana continua sitiado e sujeito a violentas pressões militares, políticas e psicológicas para que se submeta ao dictat do agressor.

Sobre a situação no Médio Oriente

O PCP exprime a sua mais viva preocupação e forte indignação pela brutal ofensiva militar israelita de ocupação dos territórios sob administração palestiniana e de ataque às instalações da Autoridade Palestiniana em Ramallah com o sequestro de facto de Yasser Arafat.

Sobre as declarações de Ariel Sharon

O Partido Comunista Português condena e repudia veementemente as irresponsáveis e provocatórias declarações de Ariel Sharon, primeiro ministro israelita, em que afirma o seu arrependimento por não ter "liquidado" o Presidente da Autoridade Palestiniana, Yasser Arafat, durante a guerra do Líbano em 1982.

Sobre a situação no Médio Oriente

O PCP acompanha com particular preocupação o agravamento da situação no Médio Oriente face à escalada de guerra desencadeada nos últimos dias por Israel.

Mensagem de Carlos Carvalhas à Secretária-Geral do Partido Comunista do Chile

À Camarada Gladys Marin Secretária-Geral do Partido Comunista do Chile

Querida Camarada, Foi com enorme indignação que tomei conhecimento do assalto à sede do Partido Comunista do Chile ontem perpetrado por forças policiais.

Mensagem de Carlos Carvalhas ao Presidente da República do Chile

Exmo. Senhor Ricardo Lagos Presidente da República do Chile

A propósito da participação de Portugal numa eventual retaliação aos atentados da passada terça-feira (11 de Setembro de 2001)

A resposta aos brutais atentados e a expressão do respeito pela dor, sofrimento e luto vividos pelos familiares das vítimas e pelo povo americano exigem serenidade e não crispação, racionalidade e não espirais de violência, exige o combate a todas as formas de terrorismo e a todas as suas causas e não retaliações e vinganças que não restituem as vidas perdidas. A morte de mais inocentes não redime o sacrifício de milhares de cidadãos nos EUA, vítimas dos intoleráveis atentados. Portugal não deve ter uma posição seguidista, nem contribuir, no plano político e militar, para um clima de irracionalidade e para o agravamento da tensão nas relações internacionais.

Sobre a situação internacional

1. Reafirmando a sua frontal condenação dos atentados terroristas ontem verificados nos Estados Unidos e renovando a expressão do seu respeito pela dor e o luto vividos pelos familiares das vítimas e pelo povo americano, o PCP entende ser seu dever chamar vivamente a atenção para os patentes perigos de agravamento da tensão internacional e da situação no mundo que se perfilam.

Sobre a situação internacional

1. Reafirmando a sua frontal condenação dos atentados terroristas ontem verificados nos Estados Unidos e renovando a expressão do seu respeito pela dor e o luto vividos pelos familiares das vítimas e pelo povo americano, o PCP entende ser seu dever chamar vivamente a atenção para os patentes perigos de agravamento da tensão internacional e da situação no mundo que se perfilam.

Sobre os atentados terroristas ocorridos nos Estados Unidos

1. O PCP expressa a sua clara condenação dos atentados terroristas hoje ocorridos nos Estados Unidos, com o sacrifício de muitas centenas de vidas de cidadãos inocentes e considera que a espiral de violência em que estes atentados se inserem só agrava a situação mundial.

2. O PCP expressa as suas sentidas condolências aos familiares das vítimas e ao povo americano.