Intervenção de Armindo Miranda, Membro da Comissão Política do Comité Central, Encontro Nacional «Alternativa patriótica e de esquerda. Soluções para um Portugal com futuro»

Campanha de todos e de cada um

Campanha de todos e de cada um

Os três actos eleitorais a realizar em 2019, vão decorrer num contexto político e social de grande agudização da luta de classes a nível internacional e nacional. De um lado, os exploradores a tentar intensificar a exploração para concentrar ainda mais nas suas mãos a riqueza produzida e tentar liquidar o PCP. Do outro, os explorados a lutarem por uma mais justa distribuição da riqueza que produzem, pela valorização do trabalho e dos trabalhadores, a combater a política de direita e a lutar por uma nova solução política.

Conhecemos todas as dificuldades, que vamos ter que vencer nesta importante batalha. Sabemos à partida que vão continuar a atrofiar a mente dos portugueses para impedir que decidam em liberdade o seu sentido de voto.

Eles sabem que, quando o povo puder decidir em liberdade e agir liberto do preconceito anticomunista e conhecedor das propostas do PCP, o grande capital e os seus representantes políticos, vão apanhar uma estrondosa derrota e o povo construirá uma sociedade mais justa e solidária.

Temos também como certo, que, vão continuar a desvalorizar e ocultar as propostas do Partido.

Mas nós, temos duas poderosas ferramentas com grande força transformadora, que eles não têm nem nunca terão.

A primeira, a força galvanizadora das justas causas por que lutamos.

A começar pelo projecto do Partido. Revolucionário, profundamente humanista, libertador, e por isso mesmo, verdadeiramente democrático

A segunda ferramenta, a organização do Partido, os seus quadros e todos os seus militantes.

Que com a sua generosidade, entrega, espírito de sacrifício e com a confiança e determinação, de quem está do lado certo da luta, já deram muitas provas, da sua extraordinária capacidade de concretização e transformação. Está assim colocada camaradas, uma das questões mais importantes nos actos eleitorais de 2019.

O papel de cada militante e activista na afirmação da CDU.

Sabemos por experiência adquirida da sua grande importância.

Mas, nestas eleições, temos ir muito mais longe.

A ofensiva ideológica e anticomunista que está em curso, contra o Partido é grande. Mas nós já derrotamos outras da mesma família. E de certeza que, vamos derrotar mais esta! Para isso, todo o colectivo partidário é convocado para esta importante batalha de carácter excepcional.

Podemos estar a precisar de um sobressalto! Sim camaradas ouviram bem! Disse sobressalto!

De cuja reflexão activa só pode resultar mais motivação, mais ousadia e muito mais confiança e determinação, para realizar a extraordinária campanha de massas de que tanto vamos precisar.

E onde, o papel de cada militante e apoiante da CDU, é decisivo.

Informar, ouvir, esclarecer e convencer é a base para realizar as milhares de conversas que, para bem do nosso povo nos levarão a um grande resultado eleitoral, já nas primeiras eleições dia 26 de Maio.

Repito, informar, ouvir, esclarecer e convencer.

Cada militante e activista da CDU, tem de ser a televisão que diz a verdade, que informa, que ouve e aprende com o povo e esclarece, das vantagens do voto na CDU.

E só nós podemos garantir que, cada voto na CDU, será mais uma alavanca para elevar a luta a novos patamares a seguir às eleições.

As nossas propostas, vão ao encontro das aspirações do nosso povo, e têm por isso um grande poder de atracão e muita força quando são divulgadas e fundamentadas.

Vejamos apenas cinco exemplos.

Tem muita força e é apoiada por todos os trabalhadores, a proposta do Partido e da CDU para que se proceda a um aumento geral de salários a começar pelo salário mínimo Nacional, das pensões e reformas.

O próprio INE concluiu que, a dinamização do mercado interno provocada pelo aumento do poder de compra dos trabalhadores e povo, foi a componente mais sólida e essencial para o crescimento económico verificado nos últimos tempos.

Tem muita força e adesão imediata a afirmação de que a doença não pode ser um negócio com o qual os parasitas da desgraça, ganham milhões, muitos milhões. Só em 2015, quatro grupos privados, facturaram cerca de 1270 milhões de Euros. E camaradas tem uma enorme importância a proposta do Partido para que seja criado um laboratório nacional público de medicamentos, visando retirar à ganância do lucro das multinacionais, tudo o que possa ser produzido em Portugal.

Tem mesmo muita força e toda a gente concorda que, com vista ao aumento da produção nacional e a criação de mais riqueza, se promova a reindustrialização e descentralização industrial, ligada a planos de desenvolvimento regional, para aproveitar todos os recursos nacionais, combater as assimetrias regionais o despovoamento e a desertificação e reforçar a coesão nacional.

Tem muita força e provoca justa indignação e revolta a denuncia que fazemos da hipocrisia daqueles que, dizendo estar muito preocupados com a pobreza, especialmente na altura do Natal, quando tomam decisões, são sempre no sentido de concentrar a riqueza em poucos e alargar a pobreza de muitos.

Até parece que gostam tanto dos pobres que têm medo que eles acabem. Nós tratamos a pobreza de forma séria. Identificamos as causas e apontamos as soluções.

E por último camaradas mas não menos importante, tem muita mas mesmo muita força e vai ao encontro do sentimento dos trabalhadores e do povo, o objectivo assumido de construirmos um governo de gente séria! De homens e mulheres, comunistas e outros democratas e patriotas que vão para o governo, com o sentido mais nobre da política, servir os trabalhadores, o povo e o país.

Camaradas e amigos,

Com toda a confiança! E com muita determinação!

Informar, ouvir, esclarecer, e convencer!

Viva o PCP, viva a CDU

>
  • Encontro Nacional do PCP «Alternativa patriótica e de esquerda. Soluções para um Portugal com futuro»
  • PCP
  • Central

Partilhar