Em Aveiro, alarga-se a convergência

Em Aveiro, alarga-se a convergência

Teve lugar na noite de 13 de Outubro, na Casa da Comunidade Sustentável, em Aveiro, um encontro entre o PCP e várias dezenas de independentes que acederam ao convite da Organização Regional do Partido para debater o actual quadro político e as perspectivas para o futuro. Da parte do PCP participou o Secretário-geral Jerónimo de Sousa, cuja intervenção inicial situou de forma breve o actual momento político, na sua complexidade e potencialidades, profundamente marcado pela solução política que se conseguiu criar, com o decisivo contributo do PCP, após as eleições de 4 de Outubro de 2015. Este acto eleitoral, salientou o dirigente comunista, significou a derrota de PSD e CDS e a consequente formação de um Governo do PS.

Nesta intervenção foram ainda assinalados alguns aspectos positivos que esta solução política permitiu, nomeadamente ao nível da recuperação de direitos e rendimentos, ao mesmo tempo que foram sublinhados igualmente os constrangimentos que permanecem a uma efectiva ruptura com a política de direita e à implementação de uma real alternativa, patriótica e de esquerda. Entre eles, assumem particular importância a dimensão da dívida pública, a detenção da banca maioritariamente por grupos monopolistas e a submissão de Portugal ao euro.

Nos contributos deixados por vários dos participantes no encontros foram focados temas bastante diversos, ora como contributo para a reflexão do PCP, ora como pergunta ou dúvida sobre esta ou aquela posição por si defendida. Entre os assuntos abordados, destaca-se os direitos dos trabalhadores e a contratação colectiva; as pensões de reforma; as políticas de habitação; a necessária melhoria do sistema educativo, designadamente através da democratização das escolas e da redução do número de alunos por turma; a inadiável defesa das funções sociais do Estado e dos serviços públicos; a tributação dos mais ricos como expressão de justiça fiscal e de um efectivo combate às desigualdades; e as inquietações quanto aos imensos constrangimentos que se colocam ao País pela sua participação no euro e na União Europeia.

Em vários momentos valorizou-se o papel do PCP como força coerente, determinada e decisiva em todos os momentos, mas em particular na actual solução política. A acção dos comunistas nas autarquias e a superioridade do projecto autárquico do Partido foram outros aspectos sublinhados.

A terminar, Jerónimo de Sousa agradeceu o contributo e participação de todos e garantiu que, como sempre, o PCP continuará fiel aos seus princípios e ao seu compromisso essencial com os trabalhadores, o povo e o País. O dirigente comunista realçou que o alargamento da luta dos trabalhadores e das populações e a convergência de democratas e patriotas é o caminho para alcançar uma verdadeira alternativa, por um Portugal desenvolvido e soberano.

Publicado no Jornal Avante!

>
  • XX Congresso do PCP

Partilhar