Intervenção de João Ferreira no Parlamento Europeu

Debate com o Presidente da CE sobre o «Estado da União»

Este debate redundou num exercício de cinismo, propaganda e mistificação.

Elogiou-se a lógica do compromisso, para defender a seguir o fim da regra da unanimidade, reforçando assim ainda mais o poder decisório das grandes potências.

A “soberania Europeia” de que falam é a soberania destas potências, o poder de porem e disporem, e de imporem os seus interesses e os interesses dos seus grupos económicos e financeiros.

As despesas militares associadas ao Fundo de Defesa aumentam mais de 20 vezes, mas o Sr. Juncker tem a desfaçatez de afirmar que não há aqui nenhuma militarização.

Aos jovens - que as políticas da União Europeia empurram para o desemprego, para o subemprego e para a precariedade no trabalho e na vida - servem propaganda em doses reforçadas. “Dão-lhes a honra de manequim, para dar corda à sua ausência”.

Assim caminha um processo de integração esgotado, sem soluções para os problemas que cria. Um processo cuja derrota é condição da construção de uma outra Europa, dos trabalhadores e dos povos, de paz e de cooperação.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar