Intervenção de Luís Sousa, Membro da Intereformados União dos Sindicatos de Braga, Debate - Desemprego, precariedade, pobreza - A face real da União Europeia

Os ataques à segurança social e a pobreza na terceira idade

A todos muito boa tarde

Os reformados,aposentados, pensionistas e idosos do Distrito de Braga não podem permitir que ao fim de uma vida de trabalho e descontos para a previdência social estejam a ser espoliados dos seus mais elementares direitos: Este governo PSD/CDS com a sua política de violenta austeridade e a pretexto da crise e da qual não somos responsáveis está a impor sacrifícios insuportáveis ao povo degradando a sua qualidade de vida e pensões de reforma conduzindo muitos de nós à pobreza e à dependência assistencialista ou de caridade, que não queremos. Os cortes nos subsídios são injustos e imorais.

O recebimento dos subsídios por duodécimos só vem a marcar o aumento dos impostos, a carga fiscal sobre os portugueses atinge níveis incompatíveis excedendo até o limite de impostos pela troika estrangeira. Uma vida de trabalho exige reformas dignas e direitos sociais. Temos direito a viver dignamente conforme consagrado na Constituição da República no seu artigo 72 que refere”As pessoas idosas têm direito à segurança económica e a condições de habitação e de convívio que respeitem a sua autonomia pessoal evitando o isolamento e a marginalização social, mas o que faz este governo PSD/CDS pôe em causa todos estes direitos ameaçando acabar com as funções sociais do estado, com cortes na saúde, na segurança social , na educação e entre outras. Na saúde, o serviço nacional de saúde universal está a sofrer um violento ataque de desinvestimento de que não há memória,com o aumento brutal das taxas moderadoras, redução nos serviços e nos medicamentos hospitalares, aumentos nos tempos de espera das cirurgias e as consultas em muitos casos chegam a dez horas de espera o que faz perigar a nossa saúde e encurta a nossa esperança de vida. Na segurança social as politicas anti sociais deste governo estão a ameaçar a sua sustentabilidade ameaçando a nossa sobrevivência em condições de dignidade. Na habitação promove-se um brutal aumento das rendas de casa colocando muitos inquilinos em grande aflição e risco de despejo. Nos Transportes públicos face ao aumento descabido dos tarifários e redução nos descontos e horários, limitam a mobilidade da população em geral e dos idosos e reformados em particular. Na Educação o encerramento das escolas levam os nossos netos cada vez para mais longe que queremos vê-los crescer felizes,mas o brutal desinvestimento na escola pública penaliza alunos e professores ameaçando a educação e o progresso do país, não aceitamos o estafado slogan de que o que se gasta acima das possibilidades, pois logo ocorre perguntar, quem induziu ao consumo?quem disponibilizou créditos a torto e a direito?quem contratou as obras e criou as PPPs, quem com elas está a ganhar, quem permitiu rendas chorudas e delas continua a auferir, quem celebrou o lucro com as swaps, quem permitiu a batota do BPN e a impunibilidade sobre ele, quem permite a delapidação do erário público, quem mantém os paraísos fiscais, a resposta é mais que evidente e todos a sabemos mesmo aqueles que ainda julgam ter algo a ganhar por estar do mesmo lado da barricada destes abutres tendo mau grado a propaganda e o endurecimento anestesiante com que os serventuários de serviço serem as vozes do dono tentam enterter e desviar o zé povinho da informação objectiva do quotidiano e do seu viver. Os reformados e pensionistas vivem como se sabe no fio da navalha, não podemos vacilar, na determinação de vencer mais esta batalha para defender o nosso futuro, temos de estar atentos não deixar que nos continuem a roubar. O desemprego aumenta todos os dias, os nossos filhos e netos cada vez dependem mais de nós, a fome é uma constante em muitas e muitas famílias, é nestes tempos dificeis que temos de estar unidos. O inimigo está identificado, Passos e Portas e toda esta corja que nos tem vindo a desgovernar, como minhotos temos de seguir o exemplo da Maria da Fonte, correr com estes desestabilizadores, conhecemos a nossa história cumpre-nos defender a soberania nacional, somos um povo com um passado, vivemos um presente muito dificil, temos de criar um futuro digno para os nossos, não podemos desistir, não precisamos que venham um qualquer Gaspar, um Passos ou um Portas dizer-nos que somos um povo trabalhador muito competente, honesto e com grande formação, temos com frontalidade dizer-lhes que somos de facto melhores que eles, que eles não nos merecem, não tem competência nem sabem o que é ser patriota, são isso sim uns vendidos ao capital nacional e internacional, estes é que estão a mais, deviam deixar o governo para o povo patriota, dividir para reinar é a política dos trapaceiros, a soma das palavras abre as portas para a soma das mentiras, dividir os reformados e os funcionários públicos é a prova da vitória dos ideológos da exploração, não fossem os reformados a contribuir para que não falte o pão na mesa a filhos, noras e netos, como é óbvio a solidariedade entre gerações, como sempre afirmamos temos vindo a assistira uma ofensiva do terrorismo social sem precedentes como algo bem seleccionado pondo os mais novos e os mais velhos, reformados e funcionários públicos em confronto, antes foi o PS e em parte conseguiu dividir os trabalhadores dos sectores privado e do público. O PSD/CDS segue a mesma receita, isto é, tentar virar os jovens contra os reformados e pensionistas confrontando estes de viverem com os seus descontos só falta dizer que somos criminosos e parasitas ou desconhecendo a solidariedade geracional como se ela existisse apenas num só sentido, fazendo crer por isso que a segurança social só terá futuro com carreiras contributivas muito longas. Salazar levou-nos a nossa juventude,Passos,Portas e Gaspar estão a liquidar os nossos velhos. Os jovens são convidados a emigrar, há equivalência inquietante nas políticas destes senhores e porque conhecemos não exitam em fazer comparações. A luta é o caminho, estamos disponíveis e determinados para reforçar a luta organizada, vamos lutar e defender Portugal de Abril, livre e soberano, vamos em unidade defender os direitos dos nossos filhos e netos, das garras vampiricas do capital selvagem imperialista, internacional que tudo faz para dividir e humilhar. A Intereformados USB saúda todas as lutas em curso sejam sectoriais, sindicais, sejam de utentes de várias áreas ou serviços ou populares que sintam essa necessidade. A Intereformados USB está contra o roubo dos subsidios de Férias e de Natal, contra o congelamento do valor das pensões em mais de três anos, contra subida das taxas moderadoras do serviço nacional de saúde, contra a redução ou perda dos apoios sociais, contra a redução e comparticipação do estado nos medicamentos, contra o aumento do imposto e dos bens essenciais de primeira necessidade, contra as privatizações dos CTT e por consequência o encerramento das delegações de proximidade que prejudicam a população em geral e particularmente os pensionistas que aí recebem as suas reformas através do vale cheque. Exigimos aumentos de 25 euros mensais para as pensões minimas, actualização das outras pensões nunca inferiores a 5 % para compensar e manter o poder de compra. Gratituidade dos medicamentos genéricos para portadores de doenças crónicas, a manutenção sem redução de horário do serviço de saúde de proximidade. Gratituidade nos transportes de doentes clinicamente justifcado, gratituidade sempre que justifique nos internamentos e exames de diagnóstico complementar,médico de família para todos os utentes na zona de proximidade. Os reformados, aposentados, pensionistas e idosos dizem, há que mudar de politica enquanto é tempo pelos reformados,trabalhadores e jovens, pelas novas gerações, pelo povo em geral,com o futuro unidos e organizados venceremos.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar